Em Recife, Instituto Pro Bono dialoga com organizações de advocacia popular e pro bono
13.08.2018

Em Recife, Instituto Pro Bono dialoga com organizações de advocacia popular e pro bono

Marcos Fuchs, ao centro, junto de advogados do Centro Popular de Direitos Humanos em Recife.

Marcos Fuchs, diretor executivo do Instituto Pro Bono, conheceu em viagem ao Recife, Pernambuco, iniciativas que promovem o acesso à justiça por meio da advocacia de interesse público. Além de trocar experiências sobre as áreas de atuação, a reunião também serviu para iniciar um planejamento conjunto de um evento sobre a relação da advocacia popular e advocacia pro bono no segundo semestre deste ano.

Entre as organizações visitadas, está o Centro Popular de Direitos Humanos (CPDH), que presta assessoria jurídica em prol de pessoas com problemas de moradias principalmente em ocupações irregulares e em comunidades de alvenaria. Durante a conversa, os advogados do CPDH comentaram da necessidade de apoio de voluntários para elaboração de pareceres e de orientação processual.

Já em outra visita, Fuchs conheceu o Gajop. Esta entidade atua, no viés da advocacia popular, no monitoramento do sistema prisional, com foco nas questões de gênero e também no sistema socioeducativo. Em março deste ano, o Instituto Pro Bono, em sua sede, recebeu a Thaisi Bouer e Edna Jatobá, ambas do Gajop, para a discussão de projetos relacionados a temática de justiça criminal.

A iniciativa de advocacia pro bono visitada foi o Projeto Pro Bono Recife, que está em processo de constituição e de mobilização de voluntários e financiadores.

Copyright © Instituto Pro Bono. Todo o conteúdo deste site é de uso exclusivo do Instituto Pro Bono. OKN group